segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

"GARRAMAR" - O SURFE CAIÇARA EM CANOAS

A primeira vez em que ouví a palavra "garramar", anotei: "agarra mar", mas depois confirmei ser garramar mesmo. Trata-se de surfar uma onda com a canoa à remo, seja por puro divertimento, (brincadeira de infância de muitos dos meus Mestres Caiçaras durante as maresias), seja para demonstrar habilidade e coragem, pois dependendo do tamanho da onda pode ser fatal bater a cabeça contra o tronco esculpido.
Como no surfe, é muito importante escolher a onda certa, (que abra e não seja "caixote") e também governar com o remo para que a canoa não atravesse na onda causando um capotamento.
Algumas técnicas ajudam neste processo:
1- andar para a proa (board walk) facilita entrar na onda;
2- ficar na popa com o remo bem afundado, funcionando de leme, facilita manter o rumo correto;
3- é preciso sempre descer a onda um pouco de "fianco", ou seja, na diagonal para o lado que a onda abre (como no surfe), e o remo sempre no bordo oposto "encontrando"a água para impedir que a canoa atravesse, esse é o movimento mais difícil e que precisa de certa dose de fé; (veja aqui 0:42s);
4- caso ocorra um capotamento, deve-se afastar ao máximo do casco para não ser atingido, e o remo deve ser largado para que não quebre.

O garramar exige muita habilidade e coragem, seja nas exibições durante as corridas de canoas, seja na volta à praia depois das pescarias quando o mar está grosso. Nestes casos o perigo aumenta ainda mais pois a canoa está cheia e pesada com a rede, e caso haja um capotamento e a rede vire por cima do pescador, é morte certa.

Algumas imagens podem falar bem mais do que tentar descrever esta bela arte dos pescadores Caiçaras mais destemidos:

1
foto1: Cristina Prochaska (Lucas da Barra Seca - Ubatuba 2011) 

2
 3




4 
fotos 2, 3 e 4: Fausto Pires de Campos (Trindade-RJ, Década de 70)

Garramar triplo, fonte: facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário